Aniversário do poeta Castro Alves é celebrado na Câmara
16/03/2018 10:10 em Sociedade

Legado do abolicionista foi comemorado em sessão regimental nesta quarta-feira (14)

O legado do poeta Castro Alves foi celebrado mais uma vez, na Câmara Municipal de Salvador, nesta quarta-feira (14), dia em que o abolicionista completaria 171 anos. Regimentalmente, o Poder Legislativo soteropolitano celebra a data e o gestor do Centro de Cultura, vereador Odiosvaldo Vigas (PDT), é o responsável pela atividade realizada no Plenário Cosme de Farias. 

A arte encurtou a distância entre o legado de Castro Alves e os jovens de escolas públicas de Salvador e da Fundação Cidade Mãe, presentes na sessão regimental. Apresentações musicais, teatrais e recitais expuseram a obra do poeta dos escravos. 

Apesar de quase dois séculos do nascimento de Castro Alves, seu lado foi considerado “muito atual” pelo vereador Odiosvaldo Vigas.

“A brilhante apresentação da Escola de Samba Unidos do Tuiuti, no Carnaval deste ano, mostra como o tema da escravidão e das desigualdades sociais, serve para os nossos dias atuais. Castro Alves combateu os ranços escravocratas do Brasil. Sua obra representa a necessidade da liberdade de expressão, da liberdade do ser humano e da justiça social”, afirmou.

Homenagens 

O coordenador do Sarau de Poesia do Centro de Cultura da Câmara Municipal de Salvador, Edgar Velame, a atriz Marli Ramos, a cantora Rita Soll, o violonista Cleber Aguiar e o baixista André Luba capitanearam as apresentações no plenário em celebração ao legado de Castro Alves. 

Uma    homenagem ao fundador do Centro de Estudos, Pensamento e Ação (Cepa), professor Germano Machado, que faleceu em 27 de dezembro de 2017, também emocionou crianças, adolescentes e adultos.

Poesia social 

Castro Alves pertenceu à chamada “Terceira Geração do Romantismo”. Pode-se dizer que o abolicionista traz em seu labor poético, uma característica individualista que o difere de seus antecessores.  

Dando ênfase à vertente chamada de “poesia social”, trazia um “falso subjetivismo”, ou seja, característica marcante pautava-se pela denúncia e insatisfação frente ao cenário político da época, mais precisamente da época da escravidão brasileira.

Através dessa temática, ele conseguiu despertar um espírito crítico diante das consciências que notadamente reivindicavam a libertação dos escravos.

COMENTÁRIOS