Cultura de Salvador na Lei Orgânica do Município
24/05/2018 10:17 em Ação Legislativa

Debate realizado na Câmara Municipal foi requerido pelo vereador Odiosvaldo Vigas

O impacto da revisão da Lei Orgânica do Município (LOM) no âmbito da cultura de Salvador. Este foi o tema do debate realizado no auditório do Centro de Cultura da Câmara, idealizado pelo vereador Odiosvaldo Vigas (PDT), na tarde desta terça-feira (22).

Administrador do espaço multiuso, Vigas ressaltou que, neste momento de revisão da LOM, é preciso também planejar meios de valorização cultural. “Estamos aqui para ouvir sugestões que estejam de acordo com a Lei Orgânica. Na condição de gestor do Centro de Cultura, me comprometo em absorver as proposições e buscar incluir nesta nova lei municipal os anseios da comunidade”, disse o vereador, salientando que a Câmara precisa se dedicar para atender também as produções artísticas da cidade.

Para o presidente da Associação de Produtores e Cineastas da Bahia (APC), Antônio Olavo, debates como este servem de oportunidade para mostrar quanto o incentivo pode contribuir para o crescimento de diferentes segmentos culturais. Segundo ele, o setor audiovisual cresceu muito nos últimos anos no Estado, fazendo o número de produtoras saltar de 75 para 315 na Bahia.

“No momento temos cerca de 90 trabalhos sendo realizados na Bahia, entre séries, animações e documentários. Discutir e fazer com que estas sugestões sejam inseridas na nova lei reforça a necessidade de ações, como o aumento de editais”, destacou Olavo.

De acordo com o professor, diretor teatral e gestor cultural Paulo Dourado, atualmente a cultura local apresenta “falta de criatividade por interesses meramente comerciais”. “Arte tem que ter sentido social”, completou. 

 

A mesa do evento contou ainda com personalidades como o cantor e compositor Gerônimo; a representante do grupo Aspiral do Reggae, Jussara Santana; o produtor Josevan da Silva; a escritora Gessy Gesse; e o jornalista Ivan de Almeida, representado o Círculo de Estudo Pensamento e Ação (Cepa). “Precisamos que esta lei seja reformulada, valorizando mais a cultura. Repensar a cultura de Salvador de uma forma mais propositiva”, declarou Ivan.

COMUNICAÇÃO CMS

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!